Qual a força de cada candidato nas REDES SOCIAIS – Experimento e-Redes

Os dados mostram o nível de curiosidade e interesse das pessoas que usam redes sociais em torno de um determinado candidato e não devem ser interpretados como intenção de voto

As redes sociais, segundo estudos da Association for the Advancement of Artificial Intelligence, detém o potencial de ser utilizadas como as ferramentas mais importantes na aferição / previsão da vontade popular e tendências em processos eleitorais.

Esse estudo se atém à redes sociais, mas o acompanhamento das tendencias de busca em ferramentas como o google pode dar uma idéia bem aproximada de quais são os interesses da sociedade no qeu diz respeito aos candidatos. Veja abaixo as tendências do google e depois acompanhe nosso estudo de tendências para o primeiro turno.

Nas redes sociais

Estudo recente realizado pela Ideia Big Data revela que 59,5% das pessoas pretendem acompanhar as publicações dos seus candidatos usando as redes sociais. Analistas políticos atribuem à estratégias usadas em redes sociais de relacionamento as vitórias dos dois últimos presidentes eleitos nos Estados Unidos, Barack Obama e Donald Trump. A equipe de Donald Trump gastou aproximadamente 70 milhões de dólares em publicidade no Facebook, veiculando de 50 a 60 mil anúncios políticos a cada dia. Trump teria multiplicado o valor investido por 4, ao receber 250 milhões de dólares em doações graças à segmentação de anúncios na rede social facebook.

Estudo publicado pela AAAI (ASSOCIAÇÃO PARA O AVANÇO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL! –) atesta que o Twitter é usado como um fórum para deliberação política e que as mensagens on-line na ferramenta espelham o sentimento político offline. Usando Software especiais para análises de menções os pesquisadores analisaram mais de 100.000 mensagens contendo referências a partidos políticos ou um políticos isolados. Hoje existem softwares que podem analisar um grande conjunto de dados coletados em redes sociais para examinar a atividade, o conteúdo emocional e as interações relacionadas a partidos políticos. Um deles é o Linguistic Inquiry and Word Count (http://www.liwc.net/comparison.php )

Os resultados mostram que o Twitter pode de fato ser utilizado para aferição das tendências de voto.  “Nós achamos que o simples número de mensagens mencionando partido reflete o resultado da eleição”, diz o estudo, que pode ser acessado em:

 https://www.aaai.org/ocs/index.php/ICWSM/ICWSM10/paper/view/1441

Assim como na Alemanha, local onde foi realizada a pesquisa supracitada, no Brasil as redes sociais são hoje a principal ferramenta de discussão política e o crescimento do número de seguidores de cada candidato está intimamente ligado ao seu crescimento nas pesquisas eleitorais.

Experimento e-Redes

O 5BR é meu espaço particular de experimentos de SEO e internet em geral. Aqui exercito métodos para melhorar o posicionamento de nossos sites etc. Nada aqui tem a pretensão de ser considerado referêncial teórico para alguém, no máximo algum material pode ser considerado como boa dica. Todavia, independente disso sempre dou um jeito de preservar os direitos autorais, detesto ver gente plagiando material produzido por outrém. 

Nos últimos meses percebe-se que conhecer o sentimento da sociedade no que diz respeito aos candidatos a presidente da república é o grande anseio de todos os estatísticos, sociólogos e operadores de institutos de pesquisa em geral. O país, como parece que era o desejo de algumas pessoas, está quase que completamente polarizado, nossa sociedade cada vez mais caminha para os dois pólos extremos da política. Mas, infelizmente isso não acontece só por aqui, observa-se em todo o planeta certo recrudescimento da discussão esquerda x direita.

Levando em consideração a influência que cada uma das redes sociais tem no Brasil, esboço um método experimental despretensioso – apenas com o objetivo de mensurar a simpatia pelos candidatos nos eleitores conectados às redes sociais – tentando aferir da forma mais precisa possível o chamado “sentimento” político expresso nas mesmas. Não se trata de pesquisa de opinião. Foi batizado de e-redes. 

Entre as principais categorias de redes sociais estão as redes sociais de relacionamento, entretenimento, redes profissionais e redes de nicho.  No Inredes usaremos dados das chamadas redes de relacionamento, por ser estes os espaços virtuais onde hoje ocorrem a maior parte das interações no que diz respeito a posicionamentos pessoais de caráter político.

No Brasil, segundo dados publicados pelo portal TechTudo, aproximadamente 62% da população usa redes sociais.

Para esse experimento trabalharemos então com a possibilidade de que 62% do eleitorado esteja conectado a redes sociais, o que equivale a cerca de 91 milhões do total de 147 milhões de eleitores. Portanto, o resultado obtido tem – em tese – possibilidade de mensurar o sentimento político dessa parcela da sociedade que interage entre si por meio das redes sociais.

A cada 100 mil seguidores em cada uma das 3 principais redes sociais utilizadas no país atribuímos valores distintos de acordo com o número de usuários de cada rede. É sabido que a influência de cada rede social de relacionamento está diretamente relacionada ao número de usuários. O maior valor é atribuído à rede facebook, em segundo lugar está o INSTAGRAM e em terceiro lugar está o TWITTER.

Dito isso, atribuimos pontuações distintas às redes: Facebook, com 130 milhões de usuários no Brasil – 1 ponto a cada 100 mil seguidores /  Instagram, com 57 milhões de usuários no Brasil  – 0.43 pontos a cada 100 mil seguidores / Twitter, com 30 milhões de usuários no Brasil – 0.23 pontos a cada 100 mil seguidores. Em seguida somamos os valores obtidos por cada candidato nas redes sociais, obtendo o índice E.

Por exemplo: Jair Bosonaro tem 6.3 milhões de seguidores no Facebook> 6.300.000 / 100.000 = 63 > F = 63×1=63;

Tem 2.7 milhões de seguidores no instagram> 2.700.000 / 100.000 = 27 >  I= 27x 0.43=11.61

Possui 1.44 milhões no Twitter >T=1.440.000/100.000=14.4 > T = 14.4x 0.23=3.31

O índice E-REDES ( E )de Jair BOLSONARO é F + I + T = 77.9 

Veja abaixo os dados e o cálculo realizado. Levando-se em consideração ainda que no máximo 25% dos usuários das redes sociais pode optar pelo candidato BAN, que significa Brancos, Abstenções e Nulos decidi estimar que o ímdice eredes deve considerar o sentimento de 75% do eleitorado que frequenta as redes sociais no Brasil.

O cálculo I x 0.341 possibilita conhecer a percentagem de eleitores usuários de redes sociais que tem preferência por determinado candidato.  

Obs: Dados coletados em 17 de setembro de 2018

5br.com.br >>>>> TOTAL

Conclusão – Experimento e-Redes com dados coletados em 17 de setembro de 2018. O candidato Jair Bolsonaro seria hoje, segundo o método aplicado, mais influente para 26 % dos 91 milhões de eleitores conectados às redes sociais, o que equivaleria, em tese, a aproximadamente 34 milhões de pessoas. O candidato Haddad/Lula seria mais influente para 16% do eleitorado conectado às redes sociais, o que equivale a 13 milhões de usuários de redes sociais. Evidente que os dados se referem exclusivamente aos eleitores conectados às redes sociais.

Os dados mostram o nível de curiosidade e interesse das pessoas que usam redes sociais em torno de um determinado candidato e não devem ser interpretados como intenção de voto

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *