MOZ

Um estudo publicado pelo MOZ mostra que apesar de muitos alegarem que o google não penaliza mais os sites com links “ruins”, isso pode estar ainda acontecendo. O que se diz hoje em dia é que o google apenas não mais leva em consideração os chamados links ruins, ou de spam. Contudo, o (apenas) não levar em consideração, que pode ser até bom para quem sobre ataques de "SEO NEGATIVO", pode não ser tão insignificante assim pra outras pessoas, na medida em que muita gente hoje usa técnicas e softwares, digamos, não convencionais, para aumentar a relevância, basicamente conseguindo links, e isso significaria algum dinheiro jogado fora.

Michael Cottam autor do texto, técnico da MOZ, diz que ouviu conversas entre técnicos do google e que nelas eles sugeriram que os próprios webmasters deveriam continuar auxiliando o google e desautorizar os links que eles sabem que são ruins.  

Para ele as penalidades algorítmicas nessa questão ainda existem. Como prova de sua teoria cita o caso de um cliente que possuía um perfil bastante “complicado” de backlinks. Cottan deu uma olhada no material e resolveu fazer um arquivo disavow. O técnico disse que mesmo desconsiderando os links ruins o site ainda possuía um perfil forte de backlinks.

O disavow foi submetido em 2 de março e quase que instantaneamente o número de visitas cresceu significativamente. Veja a imagem abaixo

O autor conclui dizendo que "o Penguin pode até não estar mais distribuindo sanções ao encontrar links maus, mas é claro que ainda existem algumas penalidades algorítmicas".

Nos campos de comentários alguns SEOs discordam do autor e alegam que pode haver outras influencias como a grande atualização de algorítimos que ocorreu nos últimos dias.

No BRASIL

É obvio que estou bem aquém dos grandes mestres do MOZ e até de alguns profissionais de renome aqui no Brasil, com os quais aprendemos muito. Mas, como trabalho na área e administramos alguns sites, vamos aqui traçar algumas linhas sobre o que tem ocorrido essa semana com a SERP.

Aqui no BRASIL, entre os sites administrados pela nossa empresa, percebemos que alguns cairam na SERP e outros permaneceram em suas posições.

Um de nossos sites que perdeu posições não possui links ruins. Em apenas um ano esse site chegou nas primeiras posições em algumas keywords de nicho bem antigo e disputado, disputando com sites antigos e com muito conteúdo, mas que não se preocupavam com SEO, inclusive onpage. Nos aproveitamos disso e conquistamos boas posições em pouco tempo. Contudo, nas últimas semanas, embora não tenhamos sido jogados para a segunda página, passamos de primeiros ou segundos para 5º, 6º ou 7ª em várias keywords. 

OUTRO CASE

Em 30 de dezembro de 2016 adquirimos um domínio expirado "xxxxxxxxx.com.br" com DA11 DR38, métricas não tão altas, mas o suficiente para nosso objetivo. O domínio, embora abandonado há dois anos, é um dos pioneiros no nicho, com links de outros sites também bem antigos, de 2003 e 2004. O site, com uma postagem por semana e alguns links antigos redirecionados para  as mesmas, continua ganhando posições.

Essa semana fomos surpreendidos com mais alguns bons lugares na SERP, jogando um concorrente bem mais estruturado, com mais links e atualizado diariamente, para posições mais abaixo. Detalhe, o concorrente possui apenas dois anos de idade.

Algumas métricas de nosso site.

serp variações site por idade

Com outros de nossos sites situações semelhantes ocorreram, o que nos indica, a princípio, que a idade dos domínio pode ter assumido agora maior relevância. Mas. continuamos observando.

Base: Google Algorithmic Penalties Still Happen, Post-Penguin 4.0​

Robson A.DSilva

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *